quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Entrevista com Alberto River (Ex-Mastruz com Leite)História

Nome: Alberto Rivelino Alves da Silva
Estado Civil: Casado
Nome da esposa:  Daisy dos Santos Alves
Filhos: Adrielly (5 anos), Jeferson (16 anos) e Adriell (7 meses)
Naturalidade:  Recife – PE.

1 – Como iniciou a sua carreira?
Estava com 15 anos de idade e saí de Recife para o Ceará para cantar em bandas de forró como “Cavalo de Pau”, “Caviar com Rapadura” e “Mastruz com Leite”. Nesta eu gravei 10 cd’s e passei  4 anos. Cantei em todos os estados brasileiros, para mais de 80 mil pessoas. Fiz todos os programas da época como Xuxa Hit’s, Xuxa Park, Turma do Didi, entre outros.
2- – Você já percorreu muitos estados brasileiros, mas sempre morou em João Pessoa – PB?
Sou natural de Recife, mas morei 10 anos em Fortaleza, logo após morei  1 ano em Aracajú e depois voltei para Recife, foi quando comecei um trabalho solo.
3 – Você fez parte da banda Mastruz com Leite durante muito tempo. O que tem a dizer desta época?
O gostoso eram as viagens, porque você conhece o Brasil todo. Gostoso porque você está sob efeito do sucesso, mas para obter este sucesso eu tinha que pagar um preço muito alto: inveja, intrigas, brigas de companheiro etc. Um preço que hoje eu não tenho disponibilidade e, tão pouco, interesse.
4 – Aparentemente, quando você estava na banda Mastruz com Leite, tudo ia bem. O que fez você realmente desistir da fama e se converter ao Senhor Jesus?
Depois que saí da banda Mastruz com Leite, lancei uma banda chamada Santropé, em Recife. Com isso fiquei muito mudado e com o tempo  as coisas só pioravam. Me separei da minha esposa quando minha filha Adrielly tinha apenas 2 meses e meu filho  10 anos. Nós brigávamos muito devido meu envolvimento com uma mulher drogada que gostava de prostituição e tudo o que há nesse mundo. Então minha esposa, devido a isto, começou uma campanha de restauração que determinou a volta da primeira bênção de Deus, que é a família.  E mesmo ouvindo conselhos para me esquecer e se relacionar com outras pessoas, ela não desistiu de lutar. Esse processo durou aproximadamente um ano, foram muitas lutas e dificuldades, mas com muita determinação ela conseguiu me levar ao Senhor Jesus.

5 – Como foi a sua conversão? Quem apresentou o Senhor Jesus a você?
Nós tínhamos uma vizinha que era obreira e levou o convite para minha esposa, mas eu nunca aceitava. Com as orações constantes da minha esposa, devido a minha permanência no pecado, minha vida ia piorando cada vez mais, foi quando aceitei o convite. Quando cheguei na igreja algo diferente me tomou e, naquele momento em que as palavras entraram em meu coração,  senti um chamado e mediante isso  fiz um voto de jamais cantar em festas que o meu cantar levasse as pessoas a se prostituirem, se drogarem ou destruísse famílias. Que o meu canto, a partir daquele momento, seria apenas para louvá-Lo e engrandecer o nome d’Ele, e que muitas pessoas fossem evangelizadas e se convertessem através do meu cantar.
6 – Você por muito tempo fez sucesso em bandas de forró. Por que mesmo depois de convertido você resolveu continuar cantando o mesmo ritmo?
A minha primeira música após convertido foi em um ritmo bem calmo, romântico, mas não faltaram pastores, diáconos, obreiros, membros, pedindo para eu cantar um forró com a letra abençoada, que levasse Deus às pessoas. Então esse segmento além de ter sido posto em meu coração, eu entendi que poderia resgatar pessoas por meio do forró. E hoje eu comprovo isto, pois recebo muitos emails com testemunho de vida através do meu trabalho.
7 – Pode-se dizer que você conhece os ‘dois lados da moeda’. Na sua visão, qual a maior mudança do Alberto River de antes para o de agora?
O Alberto River de antes não conhecia a palavra de Deus, não tinha temor a Ele. Aquele Alberto River achava que o sucesso era a casa dele. Só que ele esqueceu que um dia houve uma pessoa que pagou com a própria vida pelos nossos pecados. E foi ai que ele descobriu que Deus é criador do céu e da Terra. Foi quando soube que o único amigo é o Senhor Jesus Cristo, daí hoje há uma diferença muito grande. Hoje meu maior testemunho é a minha família! E o Deus que ouviu a minha família e a minha esposa, é o mesmo Deus que te ouvirá hoje se você clamar a Ele.
8 – Hoje você pode dizer que tem uma vida completa?
Sim, hoje minha vida é completa. Completa porque hoje minha família está restaurada. Completa porque hoje eu vejo minha filha com quase seis anos louvando  ao Senhor. Completa porque Deus me abençoou com um bebê lindo. Completa porque eu tenho feito a Obra de Deus sem me magoar com o horário das apresentações. Completa porque hoje eu posso respirar Jesus Cristo 24 horas na minha vida.
9 – Como está a sua agenda de show?
No mês de agosto estou fazendo todo Rio Grande do Norte. Em setembro, do dia 1 ao 14, estarei fazendo show  em todo Mato Grosso do Sul.  E do dia 17 ao 25, estarei na Bahia. Em outubro eu iniciarei um projeto que Deus colocou em meu coração; palhaços Plene & Tude, devido à carência na parte de louvor infantil, Deus deu essa direção de começar este trabalho, com o lançamento no dia 12, dia das crianças, em Natal-RN.