sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Programa do pastor Silas Malafaia é ameaçado pelo Ministério da Justiça


O Ministério da Justiça abriu um processo que pode resultar na primeira reclassificação de um programa evangélico, o “Vitória em Cristo”, apresentado pelo pastor Silas Malafaia, da Assembléia de Deus, que passaria a ser impróprio para antes das 20h.
Para o governo,o programa contém “linguagem depreciativa e conteúdos verbais que expõem lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros a situações humilhantes ou degradantes”.
Exibido pela Band, Rede TV! e CNT entre 12h e 17h, o “Vitória em Cristo” está fazendo campanha para que evangélicos enviem e-mails a senadores contra a aprovação de “lei que beneficia a homossexualidade” _na verdade, projeto que torna crime a discriminação sexual e de orientação sexual.
No programa, Malafaia (que compra horários nas TVs) defende que “ninguém nasce homossexual”, porque “não existe cromossomo homossexual”. Diz que o homossexualismo é “distorção” e “aberração”.
Malafaia argumenta que não ofende os gays, que apenas os critica. Impedir isso, diz, seria censura. “No Brasil, você critica Deus, o Diabo, a Igreja Católica, os evangélicos, os políticos. Mas os homossexuais são incriticáveis. Se criticar, é chamado de homofóbico. Isso é pior do que Hugo Chávez e Fidel Castro. Já falei para o ministro Tarso Genro que, se censurarem meu programa, esse governo será chamado de preconceituoso”, afirma o pastor.