quarta-feira, 9 de março de 2011

Cantora mirim Alice Melody se destaca na música gospel infantil


Ela tem apenas oito anos de idade, mas já conta cinco numa carreira pra lá de promissora. Mesmo ainda criança, a pequena Alice Melody, de Volta Redonda, vem se destacando como cantora e compositora de canções infantis com divertida levada gospel. Ainda em trabalho de divulgação do seu primeiro CD, "Brincadeira de Criança", ela foi convidada para participar da gravação do recém-lançado "Turminha da Fé", pela gravadora Line Records.
A partir do lançamento do último trabalho, a cantora mirim não parou mais: assinou contrato com a gravadora e já tem shows marcados por todo o Brasil, na divulgação do segundo CD, que é composto por 14 faixas, sendo a última delas uma versão em espanhol da música-tema. A grande novidade é que o álbum sai acompanhado de uma linha de produtos infantis, que vai de bolsas a material escolar e até xampu.
- Esse título vem de uma música composta pela Alice. O CD vai ganhar, em janeiro, uma versão em DVD, gravado num show para 9 mil pessoas, no Rio - adianta Gleidson Vidal, pai da cantora.
Como algo que parece um talento divino, Alice começou a manifestar seu gosto pela música aos três anos, copiando algumas de suas cantoras preferidas - Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Jamile. Um dia, ela contou aos pais sobre o seu desejo de ter o próprio CD.
- Eu expliquei que gravar custava caro e que ela precisava ter as próprias músicas. Foi aí que ela nos surpreendeu com gravações no telefone celular. Já tinha 20 canções que ela mesma havia criado - lembra o pai.
A fim de realizar, mesmo com muitas dificuldades, o sonho da filha, os pais, Gleidson e Kelly, fizeram um grande esforço e conseguiram produzir as primeiras músicas - o que mais tarde daria origem ao CD independente "Brincadeira de Criança". Cantando e dançando em pequenas festas de aniversário, Alice chamou atenção da gravadora e recebeu os primeiros convites para gravar entrevistas e se apresentar em programas de TV. Em 2009, após passar por emissoras de TV local, apareceu nos programas "Raul Gil" e "Tudo é Possível" (na época, apresentado por Eliana). Na última sexta, 29, quando completava oito anos, participou ao vivo do "Balanço Geral", programa comandado pelo apresentador Wagner Montes. Dessa vez, porém, ela saiu da Rede Record com convites para os demais programas da emissora, como "O Melhor do Brasil", com Rodrigo Faro.
Talento e boa ação
Elegante, Alice chegou vestida de sobretudo jeans e sapatilhas, maquiagem rosa combinando com a roupa e o esmalte, e levando uma bolsinha de mão da recém-lançada "Turminha da Fé". Um pouco tímida no início, a pequena cantora foi ficando mais à vontade ao longo da entrevista. Perguntada sobre a ansiedade em participar de um programa ao vivo, ela mostrou tranquilidade.
- Foi muito legal. Primeiro eu falei as músicas e depois eu cantei. Não fiquei nervosa não, já passei dessa fase - respondeu, naturalmente.
Sobre as músicas que mais gosta de cantar, rapidamente, Alice listou três composições de sua autoria: "Turminha da Fé", "La Bandita de la Fe (versão em espanhol da primeira)" e "Brincadeira Legal". Entre as vozes que mais gosta de ouvir estão Cristina Mel, Alyne Barros e a dupla Sandy & Júnior, além das internacionais Mariah Carey, Beyoncé, Shakira e The Black Eyed Peas. Ela confirma, pelas influências, que gosta de ouvir músicas animadas e de dançar.
- Para "A Turminha da Fé", eu me inspirei no perfil da turma, que eu vi num jornal que ganhei quando fui cantar na catedral. Em "Os Animais que Deus Criou", eu me lembrei de um filme que a gente viu sobre os animais que não maltratam e dão amor aos filhotes. "Brincadeira Legal" é inspirada nas brincadeiras da escola, pique-alto, pique-fruta, pique-bandeira - diz a menina, revelando a origem das ideias para as canções que cria.
E por falar em escola, Alice cursa atualmente o segundo ano do Ensino Fundamental, no Colégio Cora Monteiro da Silva, em Pinheiral, onde suas disciplinas favoritas são matemática e ciências. O pai conta que os professores e colegas de escola têm dado um grande apoio à carreira de Alice.
- Sempre que ela vai a algum programa, eles passam para as crianças; quando sai matéria no jornal, os professores expõem para todos verem; e quando ela se apresenta, fazem caravana para ir ao local. São ótimas pessoas, nos dão a maior força. Os professores contam que ela é muito tranquila com relação à carreira e não deixa que isso atrapalhe os estudos - diz Gleidson.
Enquanto o pai fala sobre as brincadeiras de que a filha mais gosta, Alice abre a bolsa e tira um estojo de maquiagem. E retocando a sombra rosa e o batom, ela confirma seu gosto pelas bonecas e pelos desenhos animados "Três Espiãs Demais" e "Winks".
- Ela é muito boazinha. Tem as travessuras comuns de qualquer criança, mas na maior parte do tempo fica brincando com suas bonecas no quarto, muito comportada - garante.
Ela conta que tem dois grandes sonhos: ser apresentadora de TV e realizar um grande trabalho social. Após assistir a um filme que mostrava a realidade de crianças na África, a cantora mirim logo compôs "Esperança" - uma espécie de oração pelas crianças carentes - e se viu motivada a ajudar os necessitados.
- Logo que lançou o primeiro CD, Alice já queria doar o valor das vendas. Estamos no início do caminho, mas temos planos de fundar algo como uma ong e fazer um projeto social muito bonito, do jeito que ela quer - adianta o pai.
Em meio aos agradecimentos, Gleidson cita o espaço e apoio que a imprensa local tem dado à iniciante, mas já promissora carreira da filha. O pai da cantora agradece ao diretor da gravadora, Sérgio Lima, assim como à gerente artística, Joyce Bernardo, e às coordenadoras do projeto, Jucélia Freitas (RJ) e Margareth Pereira (SP), além dos pastores Alessandro Paschoal e Rodrigo Costa.
- Eu agradeço ao meu pai e à minha mãe, à tia Gisele e ao tio Marcão, da escola - termina Alice, fazendo seus próprios agradecimentos.