segunda-feira, 7 de abril de 2014

Pastor Marco Feliciano para presidente?



Dia desses publicaram um vídeo no YouTube em que o pastor Marco Feliciano fala o seguinte: “vocês estão entendendo o chamado que Deus tem para a minha vida?”. Esta observação feita pelo pastor Marco Feliciano soa um tanto presunçosa.
O pastor Marco Feliciano deu a entender que ele é o homem escolhido por Deus para transformar este Brasil, ou seja, pelo fato de ele ser um crente, caso fosse o presidente do Brasil, seria usado por Deus e que, por meio dele, muitos estariam se tornando evangélicos no Brasil.
Ele deu a entender que seria o homem que Deus quer usar para impedir que certas leis contra a família brasileira fossem aprovadas no Brasil, leis como: permissão para o casamento entre homossexuais, inserção de livros didáticos dentro das escolas públicas que falam abertamente sobre a prática sexual e o uso da camisinha entre crianças e adolescentes, cujas imagens e ilustrações incentivariam não somente a prática de sexo entre crianças e adolescentes, mas iria inserir crianças e adolescentes na prática sexual de forma precoce, estimularia a homossexualidade e até mesmo a pedofilia.
 No entanto, encontramos, na Bíblia, alguns exemplos de homens que não permaneceram na vontade de Deus quando se envolveram com política, como no caso de Saul (que não chegou ao poder por vontade do povo e não vontade de Deus) e Salomão, que acabou se envolvendo com os deuses de suas várias mulheres, saindo desta forma, da vontade de Deus.
Isto quer dizer que nem sempre um evangélico no poder é o suficiente para manter o povo debaixo da bênção divina, porque, às vezes, tais governantes, sendo evangélicos ou não, podem sair da vontade de Deus (e geralmente saem da vontade de Deus, porque ficam soberbos, pois o poder “sobre à cabeça”). Então, não basta apenas votarmos em um evangélico, precisamos pedir a direção de Deus antes de votar em quem quer que seja.